19/05/2022

A Semana nº 153

  • Na sexta, 13, entrou no ar no site um novo álbum do ensaio feito em São Paulo no ano passado com a atriz Danielle Rosa. Esta parte é a única em que utilizamos também a área externa do Teatro Oficina. Confira!


  • Ontem postei no Instagram o resultado de um exercício de edição de foto. Na véspera, mexendo no programa que utilizo para editar (o Fotor para desktop Windows), apliquei dupla exposição em foto do ensaio "Sensual" da modelo Emile Brown Abdon, e o resultado foi este.

  • E hoje, aliás, agorinha mesmo, enfim editei minha página de perfil no OnlyFans. Só fiz hoje porque foi apenas ontem que descobri que, quando você assina as atualizações de ao menos uma pessoa naquele site, é criada uma página automaticamente, buscando os dados no serviço que você utilizou para se cadastrar. Como eu usei o Twitter, isso gerou uma situação um pouco inusitada em que o perfil, todo em português, me identificava como "Rapidola" e falava de poesia. Agora estou com um link "fabiogomes.fotocinema", com um texto em inglês falando do meu trabalho com ensaios sensuais, e linkando para o site. E por enquanto vai ser apenas isto mesmo, já que ainda não decidi se concluo o cadastro para ser um criador de conteúdo por lá. É que no mercado sensual, a praxe é quem comercialize (ou monetize de algum modo) o conteúdo gerado é a modelo, e não o fotógrafo. Se quiser ver como ficou o meu perfil em inglês por lá, clique aqui.

02/05/2022

A Semana nº 152

  • Na sexta, 29 de abril, lancei uma nova campanha, a Ação entre Amigas, sobre a qual não vou me estender muito porque expliquei tudo já nessa página. Só vou acrescentar algo que não foi dito lá: a arte será renovada mensalmente, e nesta primeira edição a estrela da campanha é a modelo paulista Tamires Alves. 


  • Falando em Tamires Alves, também na sexta entrou no ar em meu site um novo álbum, que encerra o lote de fotos inéditas que fizemos em Jales (SP), no ano passado. Sendo as fotos todas ao ar livre, intitulei o ensaio Tamires Alves junto às Árvores. Clique aqui para ver.

  • E falando na viagem do ano passado, outro dia percebi que, pela primeira vez, não havia feito ainda a soma da quilometragem percorrida. Então somei, e lá vai: foram 5 estados (São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia e Acre) percorridos em três meses (outubro de 2021 a janeiro de 2022), resultando em 10.211 km. Não incluí na contagem os estados de Alagoas, onde a viagem iniciou, nem o Rio de Janeiro (uma breve escala de minutos para eu trocar de ônibus, a caminho de São Paulo) e também não o Pará, ponto final desse percurso. 
  • Somando as grandes viagens de 2015, 2016, 2019 e 2021-22, já são 42.194 km percorridos - só para comparar, a circunferência da Terra é de 40.075 km. 

08/04/2022

A Semana nº 151


Acaba de entrar no ar em meu site mais uma parte do ensaio com a atriz Danielle Rosa, que fotografei no Teatro Oficina (São Paulo) em novembro do ano passado. Confira!
Não deixe de ver também a página que reúne todos os ensaios já publicados com Danielle, clicando aqui!

  • No sábado, 2, fui comunicado de que poemas meus foram selecionados para a II Intervenção Poética Nacional, que comemora os 8 anos da Transvê Poesias e o centenário da Semana de Arte Moderna. Com o tema As Veias Populares da Poesia Brasileira, o evento será realizado entre os dias 10 e 17 de abril em 63 cidades de 24 estados. Cerca de 6 mil garrafas, contendo poemas de quase 400 autores, serão distribuídas gratuitamente. Acompanhe a programação em sua cidade no site da rede Transvê. O edital foi aberto em 2020, mas os eventos previstos para a ocasião foram adiados em função da pandemia do coronavírus. 

25/03/2022

A Semana nº 150

Retomo hoje a série de posts A Semana, após um hiato de mais de um ano - o anterior saiu em 18.12.20, data em que interrompi o sistema de atualizações semanais em meu site, já que não dispunha de mais material inédito com qualidade para publicação (afinal, não fotografava desde fevereiro daquele ano). Desde então, tanto no site quanto no Instagram, só faço atualizações quando tenho material novo. O mesmo seguirá acontecendo aqui no blog. 

Vamos então a uma rápida atualização sobre os fatos ocorridos desde a última postagem aqui no blog, em 24 de fevereiro:

  • nesse mesmo dia, encerrei minha conta no Spotify. O principal motivo para eu estar lá eram os podcasts do Rapidola, que não tiveram nenhuma atualização em 2021. Os poemas em áudio já postados em diversos servidores de podcasts seguirão no ar, sem novas atualizações. Caso eu volte a gravar poemas, eles serão postados em vídeo. Não obtive audiência suficiente, nem interações significativas, para justificar manter ativa a estrutura de postar em áudio.

  • em 11.3, fiz a primeira atualização do site no ano, publicando novo álbum do ensaio feito em São Paulo no ano passado com a atriz Danielle Rosa. Os cliques foram feitos no mítico Teatro Oficina. Confira o ensaio clicando aqui.

  • também no dia 11, voltei a comercializar na Hotmart, com exclusividade, meu primeiro (e até agora único) e-book de fotopoemas, o Rapidola (um aperitivo). Para comprar, clique aqui. 

  • em 18.3, entraram no ar as primeiras fotos de 2022. São de um ensaio encomendado pela cantora e compositora Kelen Mendes, que posou para mim em Rio Branco. Uma curiosidade: o álbum que publiquei reproduz, com as mesmas fotos e na mesma ordem, vídeo que a própria Kelen postou em seu Instagram no dia 8.3. Veja aqui.

  • E hoje, sexta, 25, acabo de publicar no site novo álbum do ensaio que fiz com a modelo Tamires Alves em Jales (SP), em novembro. O ensaio se chama Ensolarada e já havia tido uma foto (esta que vemos  abaixo) publicada no Instagram poucos dias após fazermos a sessão. Tamires, que aniversariou na terça, 22, passa a ser a primeira Garota da Capa do Sudeste que temos no site. Confira agora mesmo!


24/02/2022

Saí do Facebook (Stories censurados! - 2ª parte)

No dia 10, fui surpreendido, ao navegar despreocupadamente pelo meu Facebook pessoal, com a informação de que minha fan page com o mesmo nome deste blog e do meu site estava com visualização restrita. Cliquei no link disponibilizado e só então fiquei sabendo de quatro stories retirados do ar entre dezembro de 2021 e o dia 4 de fevereiro (ou seja, apenas seis dias antes), e que essas retiradas aconteceram porque, no entender do Facebook, representavam violações dos Padrões da Comunidade lá dele, e que pelo fato de as violações serem contínuas, minha página estava sujeita a ser retirada do ar. 

Já relatei aqui, no artigo Stories Censurados!, de junho do ano passado, que foi um dos mais lidos de 2021, que havia sim percebido que nem todo story que eu postava no Instagram e que enviava também ao Facebook era 'aceito' (digamos) por esta outra plataforma. Mas em nenhum momento, antes ou depois de junho passado, o Facebook tomou qualquer iniciativa de me informar que considerava isso violações e que eu poderia perder minha página por causa disso.

Naquele dia 10, eu estava com o notebook passando por uma revisão na assistência técnica em Belém, para onde eu havia retornado três semanas antes. Não tinha, portanto, como adotar nenhuma providência a respeito. Só nesta segunda, 21, com o equipamento já revisado e testado, decidi antecipar minha saída daquela rede social.

Sim, esta é uma decisão que eu já via como um caminho natural há algum tempo. Manter uma conta ativa, em especial de caráter profissional, numa rede, implica a publicação contínua de posts nessa rede - obedecendo,  é claro, as normas específicas que ela tenha -, e o monitoramento permanente de mensagens lá recebidas. Mas as mensagens que eu recebia pelo Facebook profissional já eram muito poucas há bastante tempo. Mesmo a conta pessoal por lá eu quase não usava mais, mantinha porque a empresa que desde outubro do ano passado passou a se chamar Meta cria um verdadeiro cipoal a quem queira anunciar em suas plataformas. 

Para veicular anúncios no Instagram, sua conta lá precisa ser comercial; isso exige que você tenha uma fan page no Facebook, com o mesmo nome da página do Instagram, e naturalmente acarreta que você mantenha uma conta pessoal de Facebook, do contrário não poderá ter a fan page. Mas devo dizer que, nas diversas vezes em que anunciei entre 2017 e 2021, eu JAMAIS consegui ter um centavo que fosse de faturamento advindo de tal publicidade. Então vi nessa descoberta casual da ameaça da saída da fan page do ar uma oportunidade para remover esse cipoal de mim.

Comecei passando a página do Instagram para pessoal. Mas nem assim consegui desvinculá-la do Facebook (ele apenas passou da fan page para a conta pessoal). Depois programei a exclusão da fan page Fabio Gomes Foto e Cinema e também da página d'As Tias do Marabaixo (isso foi necessário porque, sem eu ter uma conta pessoal ativa, a página ficaria sem administrador, o que não é permitido - OBS: o blog das Tias permanece no ar, veja clicando aqui). Feito isso, pude então desativar meu Facebook pessoal, que no final de março completaria 11 anos. 

Das grandes redes sociais que marcaram os anos 2010, sigo portanto apenas no Twitter (onde esporadicamente publico alguns poemas) e no Instagram, este sim dedicado a divulgar minha produção de fotos e vídeos, veiculada em meu site. Planejo, em algum futuro não muito distante, manter apenas (pensando em meu trabalho com imagens) o site para publicar os ensaios, este blog, para noticiar a publicação, e o Whatsapp, para manter contato com as clientes e as modelos. Penso ser o suficiente. 



05/01/2022

Balanço de 2021

2021 foi marcado pela pandemia do coronavírus, a exemplo do ano anterior. Em minha cabeça, aliás, fica difícil distinguir num primeiro momento o que aconteceu em 2020 do ocorrido no ano que recém acabou, às vezes parece que 2020 só encerrou para mim quando tomei a segunda dose da vacina AstraZeneca, em 14 de setembro. Foi só a partir daí que voltei a fazer planos de viagem, encerrando a inesperada estadia de dois anos em Maceió. Eu havia chegado à capital alagoana em outubro de 2019, com planos de passar o verão e retornar a Belém, o que se tornou impossível a partir do início da pandemia. Mas parte desta história eu já contei no balanço anterior (para ler todos meus balanços anuais desde 2016, clique aqui). 

Sem dúvida nenhuma minha grande realização na parte do ano anterior à vacinação foi o lançamento de meu 11º livro, Memórias Poéticas. A versão e-book da obra entrou em vendas na Amazon em julho (compre aqui). Cheguei a criar uma versão impressa do livro, a ser vendida sob demanda, porém entre setembro e dezembro não houve pedidos suficientes para justificar a manutenção desta oferta, de modo que a versão impressa do livro foi descontinuada agora no começo de janeiro. 

Um mês depois da segunda dose, voltei a viajar, indo não para Belém, como teria feito em março de 2020, e sim para São Paulo, afinal minha câmera titular (a Canon EOS Rebel T5) precisava passar por uma revisão após todo esse tempo de inatividade (meu último ensaio fora realizado mais de um ano e meio antes!). Aproveitei a estadia na capital paulista para estudar: cursei Maquiagem Profissional e Pintura Corporal, no intuito de me tornar um profissional mais qualificado para melhor atender as clientes e as modelos que confiam no meu trabalho. 

Também na temporada em São Paulo, que durou mais de mês, voltei a fotografar, já em novembro, realizando três ensaios (um dos quais promocional), o que permitiu que o site voltasse a ser atualizado, já sob a nova premissa de fazer publicações apenas de material novo. Até porque o meu acervo inédito e que pudesse ter algum interesse se esgotou em dezembro do ano passado, afora alguns vídeos com poemas, que publiquei em agosto, por ocasião do segundo aniversário do site. 

Um outro aniversário, esse sim bem mais significativo - o dos meus 30 anos de Fotografia - acabou não sendo comemorado como inicialmente planejado (ou seja, com um ensaio sensual inédito). Para compensar, fiz no meu Instagram, entre março e outubro, uma grande retrospectiva de meu trabalho registrando a figura feminina, com imagens produzidas entre 2010 e 2020 (correspondendo, portanto, à minha fase digital). Findo esse resgate, passei a adotar no Instagram a mesma diretriz do site, ou seja, postar apenas trabalhos novos. Sei que, assim, estou na contramão do que tem sido recomendado para se ter relevância no 'Insta', mas confesso que, desde que passei a ter um site específico para meu trabalho com Fotografia e Cinema, passei a ver redes sociais apenas como vitrines que posso usar para divulgar a produção veiculada em meu site, que é portanto a mídia principal. 

O próprio Instagram não se ajuda numa hipotética disputa para ocupar o posto de mídia principal. Em algum momento de 2021, por exemplo, houve uma mudança da qual não lembro de ter visto aviso, e que só nos permite acessar dados sobre alcance das publicações dos últimos 90 dias - anteriormente, você podia estender essa pesquisa até os últimos 2 anos. Em função disso, não me pareceu justo incluir o Instagram na parte final deste post, onde vou apresentar minhas publicações mais vistas de 2021, já que os dados do site e do blog abrangem o ano inteiro. 

Aqui no blog, o post mais visto do ano passado foi uma arte com um poema que fiz para a modelo Maytê Cumaru, arte esta vista 1.440 vezes. Em segundo lugar, com 1.180 acessos, o Especial Liège, reunindo links para materiais que publiquei no site com a cantora paraense, que lançou em junho seu primeiro álbum, Ecdise. E em terceiro, também de junho, o artigo Stories censurados!, um relato feito quando constatei que nem todos os Stories que publico no Instagram são aceitos no Facebook (sete meses depois, a situação continua a mesma). O artigo foi lido 1.130 vezes. 
No total, o blog registrou 24.100 acessos ao longo de 2021, sendo 19.200 de usuários dos Estados Unidos, 760 do Brasil e 658 da Suécia.

Já o site registrou 1.891 visitantes únicos ao longo do ano, que viram 4.050 páginas. Setembro foi o mês de maior acesso: 337 visitantes e 773 páginas. Curiosamente, aparecem os mesmos países na mesma ordem: Estados Unidos com 1.903 páginas, Brasil com 999 e Suécia com 375. 



Os ensaios mais vistos no site em 2021 foram:

1. Liberdade - Gabrielle Celestino (foto acima) - 247 acessos









16/08/2021

Dois anos do site

Hoje, 16 de agosto, faz dois anos que entrou no ar meu site https://fabiogomesfotocinema.com.br/Abaixo, vemos o topo da versão do meu site para celular, capturado há instantes. Estes são os destaques da página nesta data:


  • Ensaio de Aniversário - Ensaio com mais de 200 imagens, em sete partes, estrelado pela minha modelo oficial da Região Norte, Emile Brown Abdon. As fotos foram feitas em Macapá em setembro de 2018 e publicadas no site por ocasião do 1º aniversário, em agosto do ano passado. Veja em https://fabiogomesfotocinema.com.br/emile-aniversario.html

  • Rapidola Livre 2020 - Reunião de 20 vídeos com poemas de minha autoria, que gravei entre fevereiro e julho do ano passado, para veiculação nos Stories do Instagram. Agora em 2021, tenho postado um a cada semana no Reels, também do Instagram. O último vídeo-poema incluído ainda está inédito no Reels. Confira em https://fabiogomesfotocinema.com.br/rapidolalivre2020.html

  • Memórias Poéticas no Esquenta Book Friday - A Amazon Brasil promove, de 19 a 22.8, a Book Friday 2021, com até 70% de desconto em cerca de 4 mil livros. Meu novo e-book, Memórias Poéticas, está participando do Esquenta Book Friday, uma preparação para o grande evento. Somente nos dias 16 e 17.8, você poderá baixar gratuitamente o e-book neste link



12/07/2021

Já está à venda meu novo e-book, MEMÓRIAS POÉTICAS

Escolhi 12 de julho de 2021 para lançar meu 11º livro, Memórias Poéticas, porque foi nesse dia, há 34 anos (12.7.1987), que escrevi meu poema mais antigo a sobreviver. Intitulado "Tá Chovendo Lá Fora", é um poema em forma de diálogo entre um casal em vias de separação; o texto fez parte de meu segundo livro, A Garota no Bar, de 1990. O poema pode ser lido também no novo livro, ao lado de todos meus poemas dos anos 1980 e 1990 cujo texto consegui localizar.

Nas 70 páginas do livro, relato toda minha convivência com a Poesia, desde a escrita dos primeiros versos, inicialmente no ambiente escolar, até a difusão dos poemas através de jornal, livro e rádio. Falo também do porquê de ter ficado sem escrever Poesia por quase duas décadas e de como vim a ter hoje na Poesia veiculada nas redes sociais uma de minhas principais atividades. Em paralelo, traço um peculiar panorama de aspectos da vida brasileira (e até mundial) do final da década de 1970 até (praticamente) ontem.

Compre agora mesmo seu e-book a R$ 20,00 em meu site ou na Amazon Brasil